3 dicas práticas para manter a sanidade ao crescer sua startup

Três dicas práticas que podem te ajudar a estabelecer equilíbrio e crescimento, simultaneamente.

Muito se fala da glória de se empreender, mas pouco se fala dos perrengues que passamos dentro de nós nessa intensa jornada. Mesmo quando todos os números estão a favor, sabemos que empreender é como saltar de um penhasco e construir o avião durante a queda – sempre haverá riscos. 

Foi empreendendo e mentorando empreendedores há 5 anos que aprendi que vida de empreendedor é cheia de altos e baixos, surpresas e desafios para construir esse avião em queda-livre com sucesso, por isso resiliência emocional é um dos pré-requisitos para sobreviver a essa jornada. Sim, sobreviver, afinal, 90% das startups falham.

Além de conhecimento técnico na área da startup, é importante estar preparado emocionalmente para esta montanha russa e buscar equilíbrio e crescimento de maneira saudável. Por isso, separei 3 dicas práticas para te apoiar a fazer parte dos 10% e prosperar fisicamente, emocionalmente, mentalmente e espiritualmente nessa jornada tão importante da sua carreira.

3 dicas práticas para estabelecer equilíbrio e crescimento simultaneamente

1-Crie uma Rotina

Vida de startup é o oposto de rotina, né? Imprevista queda em vendas em um dia, reajuste de planos, testes, reuniões inesperadas, mensagem de cliente, cobrança de investidores, etc.

Porém, estudos mostram que ter uma rotina apoia a diminuir a ansiedade, regular o relógio biológico, formar hábitos, aumentar produtividade e regula o humor.

E como fazer isso em meio a uma vida aparentemente fora do seu controle? Simples: crie ambientes controláveis.

Por exemplo, comece e termine o seu dia com rituais, dessa forma, você cria um tempo para você, no qual você tem controle do seu tempo e de suas ações. Isso ajuda a desenvolver auto-regulação e disciplina, que são características cientificamente comprovadas para aumentar resiliência e retroalimentar motivação.

Não existe uma única rotina que funciona para todos pois somos diferentes, mas há técnicas ancestrais que ajudam a desenvolver a rotina ideal para aumentar a energia da área da vida que você mais precisa de ajuda, podendo ser física, emocional, mental ou espiritual.

O ideal é ter uma rotina integral para que mantenha continuamente o equilíbrio de todas as áreas da vida, sendo exemplos de atividades, respectivamente: atividade física, ho’oponopono, journaling e meditação.

2- Defina limites

Em algum momento você terá que dar longos sprints no planejamento da empresa e é importante lembrar que terá momentos em que seu corpo, mente e coração exigirão um esforço igual na direção oposta. Isso não é uma conversa good vibes, isso é física. Estamos sempre buscando o equilíbrio naturalmente; não conforto, mas sim, equilíbrio.
Por mais que isso seja ciência, isso é considerado blasfêmia para muitos fundadores. É muito comum ouvir a seguinte frase: “Eu faria qualquer coisa pelo sucesso da minha empresa!”. Porém, é importante lembrar que estar bem física e mentalmente é ampliar as suas chances de sucesso.

Você nunca construirá uma empresa de sucesso se sacrificar sua saúde e felicidade.

Portanto, ao definir limites entre você e sua empresa, considere os seguintes princípios:

  1. Meu bem-estar emocional é minha responsabilidade.
  2. O meu bem-estar emocional a longo prazo é mais importante do que o sucesso da minha empresa.

Quem quer trabalhar para um chefe triste, irritado, estressado e sem limites pessoais? É fácil perder isso de vista, principalmente quando você está tomando decisões de curto prazo. Sua tomada de decisões vai piorar e seus melhores funcionários vão perder o respeito pelas suas condutas e inevitavelmente vão embora.

A clareza de propósito da empresa e de propósito pessoal dos fundadores, por exemplo, desempenham um papel muito importante aqui para apoiá-los a desenvolver visão de longo prazo e a terem um foco em algo maior do que eles mesmos e que traga a motivação genuína de que vale a pena superar os perrengues de agora para receber a satisfação maior no final.

Os fundadores não têm gerentes cuidando deles e se responsabilizando por seu bem-estar emocional de longo prazo, por isso, é fundamental que você tenha uma pessoa especial ao seu lado que você pode pedir para ajudar a te manter responsável por ti mesmo. Essa pessoa pode ser, por exemplo, uma mentora, uma coach, uma terapeuta, uma amiga, ou uma pessoa do board.

3- Encoraje feedbacks

Como dito anteriormente, fundadores não têm chefes para lhes dizer o que fazer, o que gera muito estresse nas tomadas de decisão. Portanto, estar aberto a receber feedback da equipe é essencial para redirecionar seu comportamento e tomada de decisões futuras. Porém, uma ansiedade pode surgir aí: “Eu terei que mudar? Devo mudar simplesmente para agradar meus funcionários?”… E a resposta é não. O propósito principal de se receber feedback como fundador deve ser coletar informação, e com as devidas informações em mãos, daí sim, tomar uma decisão. 

Outra situação que pode te manter distante da ideia de receber feedback é a sensação de que você tem que sempre passar para a sua equipe a impressão de que “você já sabe de tudo”, de que “tudo está sempre sob controle”. Isso só levará à destruição da sua empresa, pois essa mentalidade faz com que você evite os problemas ao invés de resolvê-los. 

Siga os passos a seguir para receber feedbacks sem estresse:

  1. Ouça e não interrompa. Ouça o que a pessoa está realmente dizendo, não o que você acha que ela vai dizer. Colete dados, ouça.
  2. Esteja ciente de suas respostas. Sua linguagem corporal e tom de voz geralmente falam mais alto que as palavras. Dê atenção à pessoa e crie um ambiente receptivo, isso indica que você valoriza o que alguém tem a dizer e deixa vocês à vontade.
  3. Esteja aberto. Isso significa ser receptivo a novas ideias e opiniões diferentes. Há mais de uma maneira de se fazer algo e outras pessoas podem ter um ponto de vista completamente diferente. Você pode aprender algo que vale a pena.
  4. Entenda a mensagem. Certifique-se de entender o que está sendo dito a você, especialmente antes de responder ao feedback. Faça perguntas para esclarecimentos, se necessário. Ouça ativamente repetindo os pontos-chave para saber que interpretou o feedback corretamente. Em um ambiente de grupo, peça feedback dos outros antes de responder. Além disso, quando possível, seja explícito quanto ao tipo de feedback que você está buscando com antecedência para não ser pego de surpresa.
  5. Reflita e decida o que fazer. Avalie o valor do feedback, as consequências de usá-lo ou de ignorá-lo e, em seguida, decida o que fazer. Se você não concordar com o feedback, considere pedir uma segunda opinião de outra pessoa. Mas lembre-se, no final, a sua resposta é escolha sua.
  6. Acompanhamento. Há muitas maneiras de acompanhar o feedback. Às vezes, seu acompanhamento envolverá simplesmente a implementação das sugestões dadas a você. Em outras situações, você pode querer marcar outra reunião para discutir o assunto e melhorias.

Nosso emocional é complexo, por isso há diversas outras ferramentas que você poderá aplicar para atingir o equilíbrio desejado, contudo espero que essas 3 dicas práticas te apoie a alavancar as primeiras mudanças.

Como me preparei para auxiliar empreendedores a encontrar equilíbrio e crescimento

Me formei coach no alto das Cordilheiras dos Andes, no Chile, junto com shamans e líderes de negócios do mundo todo que viajam até a Montanha de Condor Blanco para dar e receber ensinamentos, e também me formei em Negócios Internacionais e Inovação Disruptiva pela Hult International Business School em San Francisco, no Vale do Silício. Eu me dedico a disseminar conhecimentos que aceleram negócios de forma consciente e sustentável e se você quiser receber mentoria individual exclusiva para ajudar na sua jornada empreendedora, faça aplicação pela Mentoria Brazucas no Vale que você pode ter a chance de ter meu apoio para conquistar esse equilíbrio e crescimento de forma gratuita.

Caroline Shalitari

Coach de Missão de Vida e Consultora de Negócios Transformadores. No meu tempo livre gosto de dançar, desenhar, e também caminhar pelo Golden Gate Park.